23/08/2012

TEMPO DE AMAR



Há muito não paro o tempo,
que corre como o vento,
para falar-te com uma caneta,
de amor, beijos e sentimento.

É gostoso escrever-te, fazer do papel um coração,
e da caneta uma flecha cheia de paixão,
rasgar nossos anseios, e enchê-los de desejos,
tudo isso com os olhos, sentado em uma cadeira 
com pensamentos de asas, voando a imaginação.

São mágicos estes momentos, em que paramos esta corda
que arrasta o tempo, envelhecendo com as barbas do velho Odin,
e fazemos de um instante só, uma vida, eternidade,
simplesmente porque vemos manchados no papel,
o reflexo do que somos, quando abrimos o coração,
e escrevemos como se fosse canção,
o amor que sentimos por alguém,
e podemos agir como crianças,
e dizer com tanta pureza, que ama, e que gosta de ser amada.

Como é bom esta viagem, em forma de paixão
que conduzem nossos espíritos, em forma de paixão
e vamos além da eternidade, nim momento,
que dura tanto, e passa logo, mas que marca para sempre.

É bom escrever-te, me deixa tão criança, tão vivo, 
me faz amar-te mais, me faz desejar-te mais.
É bom ter-te, querida assim tão perto quando começo a pensar;
te amo, como a eternidade,
TE AMO.                                                                                 
                                                                                                                        MIRIANEIDE CÂNDIDO