26/04/2012

UMA VOZ NERVOSA

Tentei apanhar teus olhos
Vi sangrar meu sorriso
No sangue, a dor.
Espero-te no mar,
Espero triste
nessa selva de ódios,,
Solitário...

Me sinto como se eu fosse um
suicida
que levará da vida uma rosa
sem espinhos,
É ser nada...

Eu vivo deste amor
Da carícia de teus dedos,
O vazio atropela meus gestos
Suporto...

Minha arma,
Um corpo vacilante, apaixonado
Meu grito
é trêmulo,
É vida...

Você,
Inquieto
Eu,
Morrendo com a tarde...
...Chorando um sol que não foi meu.
                                                                                  (Mirianeide)